Ingestão de alimentos em gatos e cães com doença renal crônica

Os sinais clínicos da aversão alimentar em pets com doença renal crônica incluem a recusa de alimentos ou diminuição da ingestão de alimentos, que pode estar acompanhada de perda de peso

maio 1, 2023
14:03
Compartilhe esta publicação:

Sumário

Os sinais clínicos da aversão alimentar em pets com doença renal crônica incluem a recusa de alimentos ou diminuição da ingestão de alimentos, que pode estar acompanhada de perda de peso

Por Priscila Rizelo,coordenadora de Comunicação Científica – Royal Canin do Brasil

A aversão alimentar é uma condição comum em pets com doença renal crônica (DRC), que pode levar a uma diminuição da ingestão de alimentos e, consequentemente, a uma piora do estado nutricional e do quadro clínico. É importante que os médicos-veterinários que tratem de animais com doença renal crônica estejam cientes dos sinais clínicos, das causas subjacentes e das opções nutricionais para o manejo de pacientes com aversão alimentar.

Os sinais clínicos da aversão alimentar em pets com doença renal crônica incluem a recusa de alimentos ou diminuição da ingestão de alimentos, que pode estar acompanhada de perda de peso. A aversão alimentar pode ser uma resposta à uremia, que causa uma sensação de náusea e vômitos. Entre outras possíveis causas estão a dor provocada pela presença de úlceras orais, anemia, desidratação, acidose metabólica e distúrbios do trato gastrointestinal. A doença renal crônica também pode afetar o paladar e o olfato do animal, tornando os alimentos menos atrativos. Além das causas físicas, outros fatores também podem contribuir para a aversão alimentar em pets, como estresse e ansiedade causados por modificações ambientais causadas durante uma hospitalização, por exemplo. Por esse motivo, é recomendado se evitar a introdução de dietas renais em ambientes estressantes, durante uma crise urêmica ou por meio de alimentação forçada, pois isso aumenta drasticamente o risco de os animais desenvolverem aversão alimentar.

O tratamento da aversão alimentar pode incluir o uso de estimulantes de apetite, tratamento das causas subjacentes e manejo dos sinais clínicos, porém, o manejo nutricional tem um papel importante neste sentido. Mesmo dietas muito palatáveis podem não ser aceitas por pacientes que desenvolveram aversão alimentar.

A solução para estimular a ingestão das dietas formuladas para pacientes com doença renal crônica está em lançar mão de diferentes perfis aromáticos, diferentes texturas e tamanhos de croquete. Um exemplo são os cães de pequeno porte, que tem maior facilidade de preensão e mastigação quando os croquetes do alimento são adaptados para sua pequena mandíbula. O croquete adaptado aumenta a palatabilidade do alimento e deve ser a primeira escolha para cães desse porte. Apesar disso, as demais opções de croquetes, perfis aromáticos e texturas não devem ser desconsideradas durante o tratamento de gatos e cães. Essas variações estimulam o apetite, sem renunciar ao tratamento.

Em conclusão, a aversão alimentar é uma condição comum em pets com doença renal crônica e pode levar a uma diminuição da ingestão de alimentos e piora do quadro clínico. Além de contornar as causas subjacentes, os médicos-veterinários devem lançar mão de dietas formuladas para o manejo da doença renal crônica, porém, variar suas texturas, formatos de croquete e perfis aromáticos, a fim de promover a saúde e o bem-estar do animal.

Referências bibliográficas

  1. Adams LG. Phosphorus, protein and kidney disease. In: Proceedings. The Petfood Forum 1995;13-26.
  2. Parker VJ, Freeman LM. Association between body condition and survival in dogs with acquired chronic kidney disease. J Vet Intern Med 2011;25:1306-1311.
  3. Bradshaw JW, Healey LM, Thorne CJ, et al. Differences in food preferences between individuals and populations of domestic cats Felis silvestris catus. Appl Anim Behav Sci 2000;68:257-268.
  4. Rogues J, Forges C, Niceron C. Satisfaire les préférences individuelles des chats. In: Proceedings. 3e Symposium International d’Ethologie Vétérinaire SEEVAD 2015;10.
  5. Royal Canin internal study in collaboration with ENSAM (Ecole Nationale Supérieure des Arts et Métiers) and EMA (Ecole des Mines d’Alès), France 2002.
  6. Becques A, Larose C, Gouat P, et al. Effects of pre- and postnatal olfacto-gustatory experience on early preferences at birth and dietary selection at weaning in kittens. Chem Senses 2010;35:41-45.
  7. Church SC, Allen JA, Bradshaw JWS. Anti-apostatic food selection by the domestic cat. Anim Behav 1994;48:747-749.
  8. Queau Y. Impact of renal failure on the gastrointestinal tract and food intake. In: Proceedings, 21st ECVIM-CA Congress 2011.
  9. Bradshaw JW, Goodwin D, Legrand-Defretin V, et al. Food selection by the domestic cat, an obligate carnivore. Comp Biochem Physiol 1996;114:205-209.
  10. Royal Canin clinical internal study in collaboration with 12 veterinary clinics and 1 university, France, UK and Switzerland 2014.

TAGS
nutriçãoclínica ∙ royalcanin

Ingestão de alimentos em gatos e cães com doença renal crônica

Os sinais clínicos da aversão alimentar em pets com doença renal crônica incluem a recusa de alimentos ou diminuição da ingestão de alimentos, que pode estar acompanhada de perda de peso

maio 24, 2023
14:03

Leia a Vet&share sem limites.
Libere agora seu acesso

Editora Share Publicações
Segmentadas Ltda
Redes sociais
vetshare@vetshare.com.br
Curitiba - PR
2024 Editora Share © CNPJ: 24.039.946/0001-20